quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Quem Se Despede, Chora...


Na Tenda Espírita Pai João, que funcionou na década de 70, havia um ponto que tocava profundamente os médiuns e consulentes, era o ponto de subida do Caboclo Sereno:

Quem se despede, chora
É hora de Seu Sereno ir embora

Adeus, adeus...
O Seu Sereno vai embora
Filho de Umbanda por que chora
Se ele promete aqui voltar?

A promessa do Caboclo Sereno verdadeiramente aconteceu.
Em 2012, o Caboclo Sereno iniciou novo trabalho caritativo, desta vez, na Casa de Caridade Santo Antônio de Pádua, através da médium Luciana Gomes, neta da mãe Leonor. Apesar de ter escolhido novo aparelho para desempenhar os trabalhos espirituais, o Caboclo conservou as mesmas características que foram marcantes durante seu curto "reinado" na Tenda Pai João.
Dócil e sereno, o Caboclo disse antecipadamente que seu tempo no Terreiro Santo Antônio também seria curto, pois viera para terminar a missão interrompida nos anos 80.
Depois que o terreiro de Umbanda do Pai João foi fechado definitivamente em 1986 após seguidos anos de sofrimento da mãe Leonor, o Caboclo Sereno não mais trabalhou em outra Tenda no Município de Guarapari. De vez em quando, o Caboclo descia em terra para auxiliar alguns filhos de fé ligados ao círculo íntimo de mãe Leonor, conforme surgia a necessidade de um socorro espiritual. A médium dava "passagem" ao Espírito que, mesmo sem um "reino" socorria os aflitos, até que esta desencarnasse em 2007.
Na segunda-feira, dia 29, o Caboclo Sereno aguardou o término da Sessão de Mesa Branca e anunciou sua partida para nova missão espiritual. Dizendo que "uma nova porta se abrira", o Caboclo Sereno deixou uma palavra de conforto aos médiuns, agradeceu a acolhida ao Caboclo Flecha Dourada e confidenciou a um dos médiuns que apesar de estar indo para nova missão, de vez em quando voltará para "curimbar".
Aqueles que conheceram o Caboclo Sereno no passado se lembraram do ponto de despedida cheio de emoção que era cantado ao final de cada sessão na Tenda Espírita Pai João.
Aos que ficam, restam a saudade e a esperança de vê-lo novamente manifestado entre os médiuns.
Saravá o Caboclo Sereno! Salve seu Reino e sua Macaia!

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Procurador da FEDESP-ES Fala dos Direitos dos Sacerdotes

Em cerimônia realizada na Casa de Caridade Santo Antônio de Pádua, quando o Pai de Santo Antônio João Ribeiro recebeu o título de Sacerdote de Umbanda, o Procurador-Geral da Federação Espírita do Brasil no Espírito Santo - FEDESP-ES - José Levindo Sobrinho, abordou a questão dos direitos e deveres dos Sacerdotes umbandistas e do Candomblé.
Citando a  Lei 8.213 de 1991, Levindo falou a respeito do direito a aposentadoria a que faz juz todos os sacerdotes, inclusive os de Umbanda.
O tema é de suma importância para os sacerdotes religiosos que desejam receber todos os benefícios oferecidos pelo INSS, pois muitos não sabem e não conhecem os seus direitos e os benefícios que podem adquirir por meio da contribuição ao INSS como Ministro Religioso.

O Dirigente Espiritual pode e tem direito a todos os benefícios fornecidos pela Seguridade Social. O exercício da “profissão religiosa” está previsto na legislação brasileira. Não só para os representantes de outras religiões, mas também para os nossos sacerdotes e sacerdotisas da Umbanda e do Candomblé, sendo regido por uma legislação especifica a Lei 8.213 de 1991, que em seu artigo 11 é especificado que qualquer liderança religiosa é considerada um segurado da Previdência Social. Qualquer religião: Umbanda, Candomblé, Catolicismo, Evangélico e outras.
Portanto, há um código para recolhimento das contribuições especifico para o cargo de sacerdote, não havendo necessidade de pagar como autônomo, que uma categoria especificada para outras atividades, sendo que o contribuinte nesta categoria tem de pagar, além do INSS, Imposto Sobre Serviço (ISS), sendo que o Sacerdote pode contribuir na qualidade de Ministro Religioso, sem que precise pagar qualquer outro tipo de imposto, somente a contribuição para o INSS.
O Sacerdote, além de poder se aposentar como Ministro Religioso - podendo se aposentar por idade, tempo de contribuição ou aposentadoria por invalidez - poderá, caso necessite, receber outros benefícios oriundos da contribuição, sendo eles auxílio-doença, auxílio-acidente, auxílio reclusão, salário maternidade, pensão por morte (pago aos dependentes após o óbito do segurado).
Para que o Sacerdote tenha esses benefícios, ele precisa se inscrever e estar cadastrado no Regime Geral de Previdência Social, na qualidade de Ministro Religioso porque há um código específico para este tipo de contribuição, o qual lhe será atribuído um número de inscrição e será regido pelas Leis de Benefícios Previdenciários.
Lembrando que não importa quantos anos de idade ou de casa tenha o sacerdote, o importante é começar, pois além dos tipos de aposentadorias, a contribuição pode lhe proporcionar diversos benefícios.
É importante ressaltar, ainda, que a contribuição pode ser feita com base em 20% ou 11% (plano simplificado, somente não terá direito a aposentadoria por tempo de contribuição), sendo que o valor que irá incidir o percentual pode ser programado, podendo contribuir com base no salário mínimo ou até o teto previdenciário.

Fonte de Pesquisa: Jornal do Axé.



Pai Antônio Recebe Título de Sacerdote de Umbanda

No dia 19 de outubro, data que ficará gravada para sempre na memória de todos os médiuns da Casa de Caridade, o querido Pai Antônio, ou melhor o irmão "Toninho" recebeu da Federação Espírita do Brasil no Espírito Santo (FEDESP-ES) o Diploma de Sacerdote de Umbanda em cerimônia repleta de emoção e júbilo.
O evento ocorrido na sede da Casa reuniu, além do corpo mediúnico e dos frequentadores, dirigentes de outros terreiros de Umbanda de Guarapari, tais como a Mãe Solange, dirigente do Templo Espírita Caboclo Sol e Lua e o Pai Jorginho, da Casa de Caridade São Francisco de Assis.
A Presidente da FEDESP-ES, Sra Neusa Herbst cumprimentou a todos os presentes e fez a leitura do termo de abertura da cerimônia, depois que todos cantaram o Hino da Umbanda, sob a direção do mestre de cerimônias Julio Cezar. Dirigindo-se ao Pai Antônio, logo depois, Neusa Herbst lembrou-lhe da responsabilidade que aquele título outorgava oficialmente ao umbandista que há 44 anos abraçara a bandeira da Umbanda e adotara a religião de sua falecida mãe.
O simpático José Levindo Sobrinho, Procurador-Geral da FEDESP-ES, fez uma palestra carregada de alegria e, sendo carioca de Niterói, conheceu a Tenda Nossa Senhora da Piedade. Com orgulho, Levindo relatou o fato de ter estado com o Caboclo das Sete Encruzilhadas enquanto o médium Zélio Fernandino de Moraes ainda era vivo. Levindo alertou a todos sobre o projeto de lei do Deputado Feliciano Filho (PV) que proibe o sacrifício de animais nos cultos de raiz africana no Estado de São Paulo, bem como as propostas de acabar com os atabaques nos terreiros brasileiros.
Convidada a falar, a Mãe de Santo Solange Nessrala lamentou a visível desunião de alguns terreiros de Guarapari, porém falou com saudade da Comemoração do Centenário da Umbanda ocorrida na Praia dos Namorados, no ano de 2008, quando sete terreiros da cidade se reuniram para celebrar o nascimento da Umbanda. Disse também que sente a discriminação da população, uma vez que em nenhum culto ecumênico os pais de santo da cidade são sequer lembrados.
Seguindo o protocolo de Ordenação Sacerdotal, Pai Antônio fez a leitura do Juramento do Sacerdote e recebeu, a seguir, o Diploma das mãos da Presidente Neusa Herbst.
Após a Oração de Confirmação do Sacerdócio pelo Procurador da FEDESP-ES, Pai Antônio disse que estava recebendo dois presentes naquele dia: no dia 19 de outubro o Pai de Santo comemora o nascimento da falecida mãe e responsável direta pela sua conversão.
A oficialização do Sacerdócio de Umbanda dá poderes, direitos e responsabilidades ao Pai de Santo, conforme determina a Legislação brasileira, a exemplo do que diz a a Lei 8.213 de 1991, que em seu artigo 11 é especificado que qualquer liderança religiosa é considerada um segurado da Previdência Social, seja ela de Umbanda, Candomblé, Catolicismo ou Evangélico.
Por fim, o Caboclo Flecha Dourada abençoou a todos com uma linda mensagem e encerrou a cerimônia.